Site da aldeia Tenonde Porã

24 03 2008

Este é o site da aldeia Guarani Tenonde Porã que iremos visitar no Estudo de Meio em 18/5. Vou tentar achar algum dos livros que eles indicam. [bel]

Anúncios




Visita à Aldeia de Parelheiros

23 03 2008

Conseguimos  visitar a aldeia de Parelheiros – a  Tenonde Porã (aldeia guarani) no domingo, 9/3. Quem nos recebeu foi a Jera – professora e futura  coordenadora da escola indígena de lá. Ela é uma pessoa  atuante, com significativa bagagem de atuação política e  lingüística, já se apresentou diversas vezes no exterior e no Brasil. Enfim,  ela é um exemplo a ser seguido, já que primeiramente é a única mulher atuante na sua comunidade e mediadora dos diálogos com os brancos  (juruá – brancos com ascendência européia – há outras nomeações para  asiáticos, africanos etc) e com as demais etnias.   Surpreendi-me quanto à organização e a  infra-estrutura dessa aldeia. Há pouco tempo atrás, ela estava mergulhada  num imenso canteiro de obras – o que me foi anteriormente relatado,  pois  ainda não conhecia essa aldeia em particular. Hoje com isso  praticamente finalizado, pudemos perceber o resultado de uma comunidade  em convergência e focada na preservação e disseminação da sua cultura. É  comum haver divergências até nos pequenos núcleos, imagine quando isso se  estende, mesmo na interação com outros membros da própria etnia.   Acredito que se o estudo do meio for efetivado,  teremos um fértil campo de material para trabalharmos com os nossos  alunos. [Denérida – m3 sexta]





Abordagem sobre cultura indígena na escola deve mudar

23 03 2008

Denérida [m3 – sexta] me enviou esta notícia publicada no portal globo.com.O estudo da história do povo indígena no Brasil será obrigatório em todas as escolas da rede oficial de ensino do país, tanto públicas como privadas. A lei que determina a obrigatoriedade do ensino do tema em sala de aula foi sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e publicada nesta terça-feira (11) no Diário Oficial da União.Segundo André Lázaro, secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (MEC), a medida vale para todas as escolas de ensino fundamental e médio e deverá fazer parte de todo o currículo escolar, sem a necessidade de mudança na grade curricular.”A lei sancionada pelo presidente não cria novas disciplinas, por isso a grade curricular não será alterada. O que muda é que haverá uma preocupação maior na formação dos professores para deixá-los melhor preparados para lidar com o assunto em sala de aula. É uma medida saudável e tem como objetivo mudar a abordagem da questão indígena”, afirmou o secretário.Referência generalizadaUma das críticas da Fundação Nacional do Índio (Funai) tinha com relação ao estudo da história indígena no país é que as escolas costumam tratar os índios de forma generalizada – sem especificar que existem mais de 200 povos e etnias no país – e geralmente referem aos índios no passado.”As escolas dizem que os índios foram, que os índios fizeram. E eles estão aqui, falam cerca de 180 línguas diferentes, estão presentes e espalhados por todo o país”, disse Neide Martins Siqueira, coordenadora de apoio pedagógico da Funai.Segundo ela, o movimento indígena sempre lutou para mudar essa abordagem nas escolas. “Estamos felizes com a lei e o que a gente espera agora é que ela ajude na elaboração de um novo currículo e de uma nova abordagem sobre a história indígena nas escolas”, disse.Diversidade é riquezaDe acordo com o secretário, um dos objetivos da lei é fortalecer e estimular o estudo sobre o povo indígena em sala de aula. “A gente quer reconhecer a diversidade do nosso país como riqueza e não como entulho. Além disso, queremos valorizar essa riqueza de outras maneiras e não apenas dando destaque para a dimensão do sofrimento e violência que esses povos sofreram”, afirmou o secretário.Segundo Lázaro, o MEC já possui material de pesquisa sobre a história dos índios, o que servirá de apoio na discussão do material didático a ser usado em sala de aula.Mudanças na LDBA lei 11.465/08 altera um artigo da Lei de Diretrizes e Bases (LDB) e substitui a lei 10.639/03, que já previa a obrigatoriedade do ensino sobre história e cultura afro-brasileira em todas as escolas brasileiras. A partir de agora, confere-se o mesmo destaque ao ensino da história e cultura dos povos indígenas.





Vem aí o 6º Concurso Literário Vozes do Ilha!

18 03 2008

Comunidade do Vera Cruz: já estão abertas as inscrições para o 6º Concurso Literário Vozes do Ilha. Neste ano, os alunos poderão participar com textos de três gêneros literários: o conto, a crônica e a poesia. Como acontece em todos os semestres, podem participar do concurso os alunos das 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental, dos três anos do Ensino Médio e dos cinco módulos do 2º Ciclo do Ilha de Vera Cruz. Veja mais detalhes sobre o Concurso no Regulamento, aqui.

Participe! Divulgue seu talento em nossa Ilha!





Índios Online

12 03 2008

Onze nações indígenas do nordeste estão conectadas pelo projeto Índios Online.

Diariamente, há chats para trocar experiências culturais entre as comunidades, discutir maneiras para melhorar a educação e a sáude e tentar resolver problemas ambientais.

O site também tem diversas reportagens e entrevistas que a própria comunidade produz.

Ótima referência para o tema do semestre!

Mais informações sobre o projeto, nesta reportagem da revista A Rede.

Para completar, encontrei um texto da Bia Pankararu,  adolescente que ficou em segundo lugar no concurso de redação de Pernambuco, em dezembro de 2007.  Leia o resto deste artigo »





Tema do semestre: cultura

11 03 2008

M1 e M5  deram peso à escolha de CULTURA. [M. Alice, valeu mudar a direção do vento incluindo os alunos na definição dos temas a serem votados!!] O próximo passo é desenvolver o tema dentro do gênero proposto para cada módulo. Módulo 1 – publicidade e carta de reclamação/itinerário de viagem e profissional – Módulo 2 – poesia e debate oral/autobiografia e blog – Módulo 3 – pesquisa e resumo = texto expositivo/resenha oral – Módulo 4 – conto e resenha crítica/teatro e resenha crítica – Módulo 5 – reportagem e crônica/biografia e discurso político 





Projetos colaborativos integrados a propostas pedagógicas

8 03 2008

O caderno didático Ler e Escrever: tecnologias na educação traz ótimo referencial para o uso do computador na escola.

Publicado pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, em pareceria com o EducaRede, apresenta temas como:

– a reescrita do texto

– como avaliar sites para pesquisa

Leia o resto deste artigo »