I SIMELP – SIMPÓSIO MUNDIAL DE ESTUDOS DE LÍNGUA PORTUGUESA

30 05 2008

 

O Congresso é organizado com a parceria de universidades do mundo todo em que se ensina a língua portuguesa e suas variadas formas de difusão cultural, tais como músicas, língua, lingüística e literaturas.
A sede administrativa, nesta edição de setembro/2008, está instalada na Universidade de São Paulo e tem à sua frente uma Coordenação geral composta por professores da Universidade de São Paulo, da Universidade de Évora e da Universidade Cruzeiro do Sul.
O SIMELP acolhe, ainda, a estrutura e programação de três outros eventos, anteriormente com organização e programação individuais. Trata-se do III Encontro Anual do Grupo de Pesquisa “Mudança Gramatical do Português (USP/CNPq), do II Encontro Anual do Grupo de Pesquisa “Morfologia Histórica do Português (GMHP/USP) e do IV Simpósio Internacional sobre  Práticas Escritas na Escola: letramento e representação (Projeto CAPES/COFECUB 510/05). 
São eventos paralelos que, nesta edição, integram-se ao SIMELP por meio da estrutura organizativa e da programação, que conta com simpósios com apresentação de trabalhos e debates e, paralelamente, com duas defesas de dissertações de mestrado.
Ainda em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Filologia e Língua Portuguesa, ocorrerá um minicurso de pós-graduação oferecido pelo Prof. Dr. Gregório Firmino (Universidade Eduardo Mondlane) sobre o contato lingüístico e o português como segunda língua em Moçambique.

O que acham? Vamos apresentar o projeto de gêneros em EJA  linkado ao projeto da  revista ?

Ainda dá tempo.  A inscrição é até 9 de junho para  trabalhos. Entrem no site!

 [M. Alice]

Saiba mais

I Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa





Ler e escrever fazem bem à saúde

30 05 2008

Artigo da Scientific American sobre pesquisa francesa com pacientes com câncer afirma que expressar seus pensamentos e emoções num blog pode ser bom para a saúde. A escrita traz a melhoria da memória e do sono, o estímulo à atividade imunológica das células e a aceleração da recuperação após uma cirurgia.

Blogar pode liberar dopamina, um neurotransmissor que estimula o sistema nervoso central, da mesma maneira que outras atividades como ouvir música, correr ou ver obras de arte. E ainda mais, a possibilidade de resposta imediata oferece a quem escreve o benefício de encontrar outras pessoas em situação similar.[Nota do site Blue Bus]

O neurocientista brasileiro Ivan Isquierdo, coordenador do Centro de Memória da PUC-RS, no 4º Congresso Bras. de Cérebro, Comportamento e Emoções, na semana passada, citou a leitura como a melhor atividade para estimular a memória. “Quando lemos fazemos um scanner do universo inteiro que o cérebro conhece. A leitura envolve memória visual, verbal e relação com o contexto, tudo isso processado em milissegundos. Não há nenhuma atividade cerebral que chegue perto disso.”

[Bel- m4]





Idéias para noite de autógrafos

30 05 2008

A noite de autógrafos mudou para terça, 24/6, 19h.

Vamos pensar e fechar até 2/6 para que possamos preparar os alunos nas aulas de 4 e 11/6.

Idéias:

  • A Noite tem um significado de apresentar e compartilhar o percurso e o resultado do semestre. Gosto do ritual, mas sinto falta de um clima menos formal e mais festivo.
  • Pensei em ter uns elementos relacionados com os textos no espaço. 
  • O m5 pensou em comes e bebes. Que tal se forem juninos? Vou perguntar pra Jussara sobre essa possibilidade.
  • vocês acham que mantemos o formato de leitura de um texto de um aluno que está na revista [escolhido pelos próprios alunos] e leitura de uma apresentação do semestre escrita pela classe? [Acho legal para dar uma fechada no curso – ver o que ficou do tempo em que passamos trabalhando juntos.]
  • A Elenir, a Bia e o m1 estão preparando uma performance e vão usar o telão e som.
  • os alunos do m5 gostam de serem chamados pelo microfone. [Eu gosto de dar um abraço nos alunos e me despedir. Gosto de saber que eles vão pro m5.]
  • cadeiras em semicírculo / sem palco
  • convidar selecionados no concurso
  • entregar 3 exemplares para cada aluno e selecionado no concurso
  • fazer painel com textos não selecionados no concurso [quem faz?]
  • apresentar o blog do m2 no telão [ver com Sheila]
  • fazer fundo com fotos/título do texto, nome do autor, módulo/palavras-chave no telão /criação [quem faz?] e operação no dia [quem faz?]   
  • trilha sonora: perguntar aos alunos que músicas têm a ver com os textos e o tema “cultura” / gravação [Maria Alice] e operação no dia [quem faz?]
[Bel- m4]

 

 





Troque livros e gibis no parque

20 05 2008

No domingo 8 de junho, das 10h às 17h, a Feira de Troca de Livros e Gibis, organizada pela Secretaria Municipal de Cultura, será no Parque da Luz, no Bom Retiro. Depois ainda dá pra visitar a Pinacoteca, ali do lado. E, no domingo 22 de junho, a feira será no Parque Santo Dias, na Estrada de Itapecerica, 4.800, no Capão Redondo. Telefone para informações ao público: 3675-6727.

Apareçam e divulguem para os alunos!!

[Bel – m4]





6º Fórum Paulo Freire em setembro

20 05 2008

De 16 a 20 de setembro, o Fórum 2008 será realizado na PUC-SP, onde Freire lecionou de 1981 a 97. As inscrições, feitas pela internet, já estão abertas e vão até 10/9.

A programação consta de cinco Conferências [16 e 17/9] e dos Círculos de Cultura [18 e 19/9], os últimos abertos apenas para quem for apresentar trabalhos. As regras para a inscrição de trabalhos e o conteúdo das conferências ainda não foram publicados no site do fórum.
 [Bel – m4]






Computadores chegando

13 05 2008

Depois de muito trabalho conjunto, a boa notícia: os laptops do projeto-piloto “Ilha Conectado” já estão sendo comprados pela tecnologia do Vera.

Muito obrigada, Vera, Jussara, Bia, Yorik, Branca, Carlos, todo o PortuguesIlha e os amigos de fora da escola, que tanto pentelhei 🙂

Repito o objetivo geral do projeto:

“O Ilha Conectado contribuirá com a inclusão digital dos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Ilha de Vera Cruz. Computadores conectados à internet, disponíveis na sala de aula, são um convite para a entrada na era digital. Além de disseminar o uso de ferramentas de processamento de textos, por exemplo, o acesso à rede permite pesquisas em diversas fontes e publicação do conhecimento produzido na escola.

Para muitos estudantes em idade adulta, a caligrafia é mais um obstáculo a ser superado na produção de textos. O uso do computador tira o foco do aluno para a parte motora, privilegiando o cuidado com a ortografia, as construções lingüística e a coerência textual.

As pesquisas propostas pelo professor também orientam a obtenção de conhecimento na enorme quantidade de informações disponíveis na internet. E esse aprendizado permite encontrar novos temas, despertar para novos interesses e dar vazão à criatividade.

O conhecimento gerado na interação professor/aluno/fontes de pesquisa pode estar disponível para outras pessoas. Em vez de o trabalho escolar ficar guardado com o autor, ele ganha a rede, provando que cada um é produtor de saber, aumentando a auto-estima do aluno e potencializando mais aprendizado.

Neste novo modelo, a educação extrapola os muros escolares. O aluno que sabe utilizar a rede, foca a pesquisa em temas de seu interesse fora da sala de aula, nos inúmeros pontos de acesso gratuito disponíveis da cidade, de modo que o aprendizado ganha sentido no dia-a-dia desse aluno.”

Bianca – módulo 2

Abaixo, a versão final na íntegra:

Leia o resto deste artigo »