Computadores chegando

13 05 2008

Depois de muito trabalho conjunto, a boa notícia: os laptops do projeto-piloto “Ilha Conectado” já estão sendo comprados pela tecnologia do Vera.

Muito obrigada, Vera, Jussara, Bia, Yorik, Branca, Carlos, todo o PortuguesIlha e os amigos de fora da escola, que tanto pentelhei 🙂

Repito o objetivo geral do projeto:

“O Ilha Conectado contribuirá com a inclusão digital dos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Ilha de Vera Cruz. Computadores conectados à internet, disponíveis na sala de aula, são um convite para a entrada na era digital. Além de disseminar o uso de ferramentas de processamento de textos, por exemplo, o acesso à rede permite pesquisas em diversas fontes e publicação do conhecimento produzido na escola.

Para muitos estudantes em idade adulta, a caligrafia é mais um obstáculo a ser superado na produção de textos. O uso do computador tira o foco do aluno para a parte motora, privilegiando o cuidado com a ortografia, as construções lingüística e a coerência textual.

As pesquisas propostas pelo professor também orientam a obtenção de conhecimento na enorme quantidade de informações disponíveis na internet. E esse aprendizado permite encontrar novos temas, despertar para novos interesses e dar vazão à criatividade.

O conhecimento gerado na interação professor/aluno/fontes de pesquisa pode estar disponível para outras pessoas. Em vez de o trabalho escolar ficar guardado com o autor, ele ganha a rede, provando que cada um é produtor de saber, aumentando a auto-estima do aluno e potencializando mais aprendizado.

Neste novo modelo, a educação extrapola os muros escolares. O aluno que sabe utilizar a rede, foca a pesquisa em temas de seu interesse fora da sala de aula, nos inúmeros pontos de acesso gratuito disponíveis da cidade, de modo que o aprendizado ganha sentido no dia-a-dia desse aluno.”

Bianca – módulo 2

Abaixo, a versão final na íntegra:

ILHA CONECTADO

1- Instituição

O Ilha de Vera Cruz é um projeto social que atende jovens e adultos analfabetos ou com escolaridade incompleta. Fundado em 2001, foi criado após um estudo realizado pelos alunos do Ensino Médio da Escola Vera Cruz que se interessaram em conhecer a população do entorno da escola, na Vila Leopoldina, e suas necessidades sociais.

O Ilha tem a Missão de promover a educação, particularmente a escolaridade, de pessoas com mais de 18 anos analfabetas ou com escolaridade incompleta que não possuem o certificado de conclusão do Ensino Fundamental, visando a valorização do ser humano, a autonomia e a promoção da cidadania.

Oferece Ensino Fundamental de qualidade, gratuito e com direito a certificação.

Sua equipe é formada por uma Coordenadora Pedagógica, uma Coordenadora de Voluntários e responsável pelo programa de Captação de Recursos, uma Secretaria Escolar, duas Professoras polivalentes, uma Recreacionista, uma Estagiária e 115 professores/ monitores voluntários .

O Ilha conquistou parceiros que colaboram de maneira significativa na construção, manutenção e consolidação desta instituição.

São eles: Associação Universitária Interamericana , Correios, Fundação Itaú Social, Centro de Voluntariado de São Paulo, Bia Bracher, Padaria Letícia, Disnel e 80 colaboradores do Programa Adote um Aluno1.

Até dezembro de 2007 foram certificados 96 alunos, que mostram como o Ilha fez diferença em suas vidas, conforme alguns dos depoimentos reproduzidos abaixo:

”É tão bom ver meus filhos me pedindo ajuda para as tarefas de escola e eu saber ensinar… Mas às vezes eu não sei a resposta e descobrimos a solução juntos. O respeito que eles tem por mim agora, é o que sempre sonhei. Os voluntários do Ilha tem uma dedicação excepcional. Os livros e revistas que escrevi com os meus colegas de classe são o meu orgulho. Mas na vida familiar é que sinto o melhor aproveitamento de ter estudado no Ilha.”

Milton Pereira Dias, 41 anos, pai de 3 filhos. Não estudava havia 20 anos.

“Antes eu era muita estressada, nervosa. Depois que vim para o Ilha acabou. Sabe por quê? Aqui posso falar, sou ouvida, todos falam calmos comigo. Eu era arrogante por ser insegura e mudei. Aprendi no Ilha a ser “gente”.

Andréa Aparecida Ferreira Reis, 32 anos, 1 filha, cafezeira no Ceasa.

“Descobri no Ilha que sou capaz de me relacionar com qualquer pessoa. Trabalho em um condomínio de gente rica e sei tratar cada um dos moradores com respeito e admiração, que é como fui tratada no Ilha, com respeito e admiração. Sei priorizar as minhas tarefas, recebo mais obrigações para fazer, pois meu patrão sabe que vou dar conta. Já fiz até relatório da reunião de condomínio.”

Marinalva Pereira da Silva ,34 anos, 2 filhos, auxiliar de serviços gerais.

“Sou motorista de uma família há 9 anos e a filha dos patrões, que estuda no Vera, ficou falando muito que eu tinha que voltar a estudar e que o Ilha era a melhor escola para adultos. Estudar aqui no Ilha me ajudou muito profissionalmente, pois com todo o conhecimento que aprendi aqui (e não é só conhecimento de escrever é ter auto-estima, saber que sou igual a todos), aprendi facilmente a mexer no computador de bordo do carro pois aprendi inglês”

Jailton Alves de Souza, 44 anos, 4 filhos.

2- Justificativa do Projeto

As principais atividades econômicas, governamentais e culturais de nossa sociedade são praticadas e divulgadas na rede mundial de computadores. Segundo o sociólogo Sergio Amadeu da Silveira, “Estar fora da rede é ficar fora dos principais fluxos de informação. Desconhecer seus procedimentos básicos é amargar a nova ignorância”.

A falta de acesso às novas tecnologias tende a ampliar o distanciamento entre ricos e pobres. O analfabetismo digital gera isolamento e agrava a condição de miséria de parte da população. Quem não souber reunir, processar e analisar informações ficará cada vez mais distante da produção do conhecimento. Para se obter um emprego, por exemplo, o domínio do computador é cada vez mais importante.

E além dos motivos econômicos e de empregabilidade, a defesa da inclusão digital é fundamental na conquista da cidadania. O direito inalienável à comunicação é garantido. E fiscalizar, cobrar e fazer propostas ao poder público fica mais fácil com as ferramentas interativas dos governos eletrônicos.

A necessidade de investimento na educação já é consenso no Brasil. A primeira etapa para combater a pobreza, desenvolver a economia e consolidar nossa democracia é promover formação de qualidade.

Melhorar os índices de educação é essencial para nosso desenvolvimento sustentável. Mas os números não podem ser mera formalidade, é necessário educar com qualidade, promovendo espírito crítico e motivação para o aprendizado.

O desejo de utilizar o computador aumenta, sem dúvidas, a motivação para buscar conhecimento. E a possibilidade de consultar diversas fontes, em vez de utilizar somente o material didático disponível desperta a criticidade em relação ao que é lido.

3- Objetivo Geral

O Ilha Conectado contribuirá com a inclusão digital dos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Ilha de Vera Cruz. Computadores conectados à internet, disponíveis na sala de aula, são um convite para a entrada na era digital. Além de disseminar o uso de ferramentas de processamento de textos, por exemplo, o acesso à rede permite pesquisas em diversas fontes e publicação do conhecimento produzido na escola.

Para muitos estudantes em idade adulta, a caligrafia é mais um obstáculo a ser superado na produção de textos. O uso do computador tira o foco do aluno para a parte motora, privilegiando o cuidado com a ortografia, as construções lingüística e a coerência textual.

As pesquisas propostas pelo professor também orientam a obtenção de conhecimento na enorme quantidade de informações disponíveis na internet. E esse aprendizado permite encontrar novos temas, despertar para novos interesses e dar vazão à criatividade.

O conhecimento gerado na interação professor/aluno/fontes de pesquisa pode estar disponível para outras pessoas. Em vez de o trabalho escolar ficar guardado com o autor, ele ganha a rede, provando que cada um é produtor de saber, aumentando a auto-estima do aluno e potencializando mais aprendizado.

Neste novo modelo, a educação extrapola os muros escolares. O aluno que sabe utilizar a rede, foca a pesquisa em temas de seu interesse fora da sala de aula, nos inúmeros pontos de acesso gratuito disponíveis da cidade, de modo que o aprendizado ganha sentido no dia-a-dia desse aluno.

4- Objetivo Específico

Utilizaremos notebooks como ferramenta para o ensino de Língua Portuguesa no projeto Ilha de Vera Cruz. Para testar as potencialidades e limitações nesta utilização, propomos um projeto-piloto, com nove alunos. Os resultados destes testes permitirão, em um segundo projeto, replicar o uso da ferramenta com outros estudantes.

Esperamos incluir digitalmente nossos alunos estimulando:

*

comunicação via e-mail;
*

comunicação via sites de relacionamento, como o Orkut;
*

discussão em fóruns e comunidades online;
*

utilização de serviços governamentais online como denúncias ao Ministério Público e consultas à previdência;
*

pesquisa em buscadores como o Google e enciclopédias como a Wikipedia;
*

pesquisa multimídia em sites como o Youtube, o Flickr e o Radar Cultura;
*

publicação de textos em blogs individuais;
*

publicação de verbetes na Wikipedia;
*

publicação de conteúdo multimídia.

Contribuiremos com a educação formal dos estudantes, sob os seguintes aspectos:

*

acesso a mais fontes de pesquisa;
*

melhoria do texto escrito, por tirar a atenção da caligrafia, focando ortografia, coerência e estilística;
*

produção de textos mais autorais, já que o professor não é o único leitor do texto;
*

facilidade para o aprendizado de normas gramaticais, já que serão ensinadas com base na produção;
*

interação entre o conhecimento adquirido em diversas disciplinas;
*

estímulo ao trabalho em grupo.

5- Indicadores e formas de verificação

Pode -se avaliar os impactos do uso dos notebooks na educação e na inclusão digital dos estudantes de diversas maneiras:

*

aplicação de questionários, antes e depois da experiência (ver anexo);
*

quantidade de textos publicados;
*

evolução na qualidade dos textos publicados (segundo parâmetros pedagógicos definidos pela escola);
*

estatísticas de uso dos blogs;
*

relatórios de aulas produzidos pelo professor.

6- Considerações Gerais

Projetos para a educação de crianças como o “Um Computador por Aluno”, do Ministério da Educação em parceria com instituições de ensino de todo o país, tem apontado para o uso da tecnologia como ferramenta eficaz na melhoria da educação. O projeto-piloto Ilha Conectado permite testar a utilização de computadores na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Como todas as etapas do projeto serão documentadas, com os resultados obtidos neste projeto-piloto, é possível definir uma proposta consolidada para o uso de notebooks em EJA. E o modelo poderá ser replicado em escolas de todo o país.

A empresa que investir no projeto terá sua marca associada à educação, à inclusão digital, à sustentabilidade, à inovação e à responsabilidade social. Além de divulgar o projeto no próprio material institucional, a empresa poderá ter sua logomarca no site do Ilha de Vera Cruz e nos blogs dos estudantes.

Anexo

Descrição do produto

*

900g
*

Tela de 7 polegadas
*

Rede local com e sem fio
*

Modem 56K
*

4 portas USB
*

3h de bateria
*

4GB de armazenamento flash
*

Leitor para flash cards externos

Advertisements

Acções

Information

11 responses

13 05 2008
Melissa

Que boa notícia, Bianca! Parabéns!
Beijão,
Melissa

13 05 2008
biancasantana

Pra gente, Melissa! Agora é trabalhar firme pra dar certo 🙂 beijos

14 05 2008
Bel

Êêê! Vc é demais! A proposta do projeto está muito legal!

bjoca
Bel

14 05 2008
Mariana Di Stella Piazzolla

Como eu disse, só podia ter orgulho de vc! beijos

14 05 2008
Bianca

Bel, Mari, muito obrigada 🙂
Mas não fui só eu não. Aliás, vocês fizeram uma parte muito grande do projeto!
beijocas

14 05 2008
maria alice

Gostei! Muito legal !

Qq coisa, conte com a gente !

bjs

14 05 2008
Bianca

Já conto, Maria Alice!
Muito obrigada 🙂
No vemos no estudo do meio?

27 05 2008
chagas holanda, modulo 02

parabéns Bianca.
no que eu poder ser útil estarei a disposição.

27 05 2008
chagas holanda, modulo 02

Bianca você é realmente fantástica
junto com o ilha você é mais fantástica ainda.

10 07 2008
biancasantana

Chagas! É muita gente bacana reunida colocando energia pra dar certo, né? Não tinha como não dar certo… beijo grande

19 01 2010
Ana Beatriz

Bianca,

Que projeto interessante! Vou trabalhar como professora pesquisador do projeto Um Computador por Aluno em Pernambuco e na Paraíba. Vou passar por aqui para trocarmos figurinha. Já linkei o seu blog no meu. Parabéns pelo trabalho!

Abraços,

Ana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: